Como proteger sua invenção

Criado em Sexta, 11 Abril 2014 13:03

1. Contato Inicial com a Agência

O pesquisador/inventor acredita no potencial da sua pesquisa ou tecnologia, seja para o desenvolvimento de um novo produto, serviço, novo processo de produção, ou mesmo criação de um novo negócio/empresa. Para isto, reconhece a necessidade de proteger a sua propriedade intelectual e utilizá-la em favor da sociedade com apoio da faculdade (representada por uma área competente nas questões relacionadas à propriedade intelectual e ponte faculdade-empresa), o que lhe beneficiará em todos os aspectos no desenvolvimento do seu projeto.

2. Avaliação Inicial do Projeto

Após o contato inicial do inventor com a NIT, trocaremos informações (se necessário, realizando reuniões pessoais ou virtuais) para realizar um primeiro enquadramento da pesquisa ou tecnologia em questão nos requisitos básicos para a continuidade do processo de proteção do conhecimento.

Esta etapa é importante para serem esclarecidas dúvidas por parte do inventor quanto às etapas seguintes, como por parte do NIT quanto aos objetivos do desenvolvimento das atividades relacionadas à proteção e condução ao mercado.

3. Revelação da Invenção

A revelação da invenção consiste na primeira exposição mais detalhada sobre o conteúdo da pesquisa ou tecnologia a ser protegida, a partir de documentos confidenciais que garantem a segurança do conhecimento apresentado pelo inventor nas informações apresentadas nesta etapa do processo.

O objetivo da execução desta etapa é garantir a disponibilização das informações necessárias a um maior entendimento pelos profissionais envolvidos no NIT de Inovação e possibilitar um enquadramento da pesquisa entre as opções de comercialização.

É importante destacar que esta etapa ainda não busca detalhar o conhecimento desenvolvido pelo inventor no nível ou formato das documentações para solicitação de patentes (reivindicações etc).

4. Avaliação técnico-econômica do Projeto

Após a revelação da pesquisa, será realizado um conjunto de avaliações detalhadas sobre a possibilidade e potencialidade de solicitação de pedido de proteção intelectual, sob o cunho técnico e econômico.

Para a avaliação técnica, são realizadas buscas de anterioridades de patentes, análise do mercado de aplicação e tecnologias competitivas e avaliação da compatibilidade com os critérios formais de caracterização de invenção (dentre os principais: inédita, não publicada e não óbvia). Em relação à avaliação econômica, são estimados os custos (tempo e investimento) necessários para levar a invenção ao mercado.

5. Pedido de Proteção Intelectual

A validação do projeto de pesquisa para ser objeto da transferência de tecnologia possibilita que a Agência solicite as proteções devidas, a partir do cumprimento de uma série de atividades junto à instituição (INPI no Brasil e PCT para proteção internacional). Dentre outras atividades, esta etapa inclui a redação detalhada do pedido de proteção e o levantamento de outros documentos necessários para a efetivação solicitação e futura concessão do direito de propriedade intelectual sobre sua pesquisa ou tecnologia.

6. Acompanhamento do Pedido de Proteção Intelectual

Após a realização formal do pedido de proteção do conhecimento, os procedimentos de avaliação específicos da instituição competente são realizados, e o NIT tem as obrigações de acompanhar os prazos de pagamento das requisições de proteção e realizar esse pagamento, além de prover as informações necessárias ao pesquisador sobre o andamento do pedido.

Última atualização em Sexta, 11 Abril 2014 13:03
Rede FTC Todos os direitos reservados
.