Ensino

Criado em Segunda, 02 Dezembro 2013 15:15

Ciente do desenvolvimento político-econômico-social pelo qual o Brasil passa, a Rede FTC qualifica os futuros profissionais para melhor desempenharem seu papel. O recém-formado, por mais ativo que seja, irá enfrentar dificuldades para se inserir e se manter no mercado caso não seja capaz de desenvolver uma série de competências, que servirão de apoio e ponte entre o conhecimento teórico e a prática do dia-a-dia profissional. É por isso que o ensino superior precisa ser diferenciado, qualidade na qual a FTC se empenha e investe recursos.  

Para alcançar este diferencial, a instituição cuida para que os alunos adquiram uma série de habilidades e atitudes que, somadas ao conhecimento técnico essencial de cada área, tornam o futuro profissional competitivo no mercado em que vai ingressar.

Entre estas habilidades e atitudes, estão:

  • marketing pessoal;
  • flexibilidade e inteligência emocional;
  • pró-atividade;
  • capacidade de boa comunicação escrita e falada;
  • tolerância a realidades incertas e não lineares;
  • planejamento, gestão e liderança;
  • e uma série de outras competências que não são formalmente ensinadas na universidade.

Os cursos de graduação da Rede FTC têm o objetivo de formar um profissional crítico, conhecedor das exigências do mundo contemporâneo e, principalmente, consciente de sua responsabilidade social no que diz respeito ao compromisso de contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e, consequentemente, das comunidades e da população brasileira.

Estágio supervisionado - A interação entre teoria e prática, caracterizada pelo estágio supervisionado, constitui-se em componente curricular obrigatório, que visa a aplicação dos conhecimentos estudados ao cotidiano, realizando a transposição, para o dia-a-dia profissional, de conhecimentos adquiridos ao longo de sua formação acadêmica, possibilitando o desenvolvimento da prática, onde estão envolvidos os aspectos técnicos, científicos, sociais e humanos da profissão.

 A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB), ao estabelecer que o ensino deve ter ênfase nas competências, assim como valorizar o local de trabalho como espaço privilegiado de ensino/aprendizagem, possibilita a interseção entre as instituições formadoras e as atividades profissionais, por meio sobretudo do estágio supervisionado.

 

FTC reúne ensino, pesquisa e extensão na educação integrada

A FTC tem como base de sua proposta pedagógica a melhoria qualitativa do ensino superior, que inclui a formação de grupos de estudos nos cursos de graduação, favorecendo o surgimento de linhas de pesquisa que contribuem para o amadurecimento intelectual e profissional dos educadores e, consequentemente, viabilizando a participação dos alunos no desenvolvimento da iniciação científica. Isto certamente favorecerá a construção da cientificidade do processo de ensinar e aprender que envolve, indissociavelmente, a pesquisa e a extensão, além do ensino.

A Rede FTC entende que unir ensino, pesquisa e extensão significa caminhar para que a educação seja realmente integrada, envolvendo docentes e discentes na criação e na reelaboração do conhecimento, com o intuito de que a realidade seja apreendida e não somente reproduzida.

Desta forma, a instituição busca vincular, cada vez mais, suas ações às necessidades da comunidade, permitindo que as mesmas sejam realmente relevantes a esta sociedade, bem como promovendo o fortalecimento do ensino por meio de um processo de ação/reflexão/ação.

A Rede FTC trabalha o processo ensino-aprendizagem como elemento estrutural fundamental na qualidade do serviço prestado pela instituição, pois compreende que a relação entre o ensino e a aprendizagem não é mecânica, não é somente a transmissão do conteúdo do professor para o aluno, mas, mais do que isso, é uma relação recíproca, na qual se destacam o papel orientador do professor e as atividades dos discentes.

Dessa maneira, a FTC compreende que é fundamental a continuidade do desenvolvimento dos conhecimentos e, para tal, desenvolve atividades de extensão nos seus diferentes ângulos: para o desenvolvimento comunitário e a formação da consciência social; como ação cultural; como educação continuada; e como prestação de serviço.

 

Trabalho Interdisciplinar Dirigido assegura flexibilidade e qualidade de ensino

O Trabalho Interdisciplinar Dirigido (TID) estimula e propicia a concretização das bases filosóficas do Projeto Pedagógico Institucional da FTC, que enfatiza a necessidade de pensar a interdisciplinaridade como essência e a transdisciplinaridade como perspectiva.

Desta forma, o TID, apresenta-se como uma proposta oportuna e significativa no processo de ensino-aprendizagem, tendo em vista sua concepção sistêmica da construção do conhecimento em prol de uma atuação profissional e humana integradora, a partir das interrelações e da interação entre os componentes curriculares do próprio curso ou até mesmo entre cursos afins, indo além da especialização e fracionamento do conhecimento.

Levando em consideração os aspectos mencionados, o TID tem como finalidade estimular práticas de estudos independentes para uma progressiva autonomia profissional e intelectual do aprendiz, além dos objetivos de fortalecer a articulação da teoria com a prática, valorizar a pesquisa individual e coletiva, incentivar a busca por informações oriundas de várias fontes e fomentar nos alunos a capacidade de sistematizar e processar informações coletadas para geração de conhecimentos e tomadas de decisão.

Carga horária - Para cumprir sua função, o TID é ministrado nos quatro primeiros semestres do curso e possui a carga horária de 60 horas em cada semestre, das quais 20 horas são atividades presenciais e as demais (40 horas) são computadas como atividades dirigidas, justamente para estimular o desenvolvimento da autonomia do educando em seu processo de aprendizagem.

A inclusão do componente curricular intitulado Trabalho Interdisciplinar Dirigido (TID) nos cursos de graduação das unidades de ensino da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) baseia-se no Parecer nº 583/2001, do Conselho Nacional de Educação, o qual destaca que as Diretrizes Curriculares dos cursos de graduação devem assegurar a flexibilidade e a qualidade da formação oferecida aos estudantes.

Última atualização em Terça, 03 Dezembro 2013 12:47
Rede FTC Todos os direitos reservados
.